Sustentabilidade em Segurança Pública

Aproveitando o tema abordado pela palestra Design Essencial – Ambiente Seguro, oferecida pelo Senac de Bauru, este tópico irá tratar de um assunto de extrema importância: a segurança pública.


A Arquitetura e Design podem sim ser coadjuvantes no combate ao crime, sendo em alguns casos fator determinante no auxilio à ação policial. Um exemplo são as casas com muros muito altos e fachadas que impedem a visibilidade. Apesar da falsa sensação de segurança, pela sua aparencia de fortaleza, segundo o coronel Roberson Luiz Bondaruk, isso vai contra o interesse da segurança pública. Em sua palestra, transmitida a nós via gravação em vídeo, ele explica que uma vez que o ladrão entra em uma casa dessas a pouca visibilidade se torna favorável pois impede que os vizinhos percebam algum movimento estranho e acionem a polícia militar. De fato em uma pesquisa realizada dentro dos presídios 70% dos presos por roubo e furto escolheram casas cujas fachadas eram fechadas e escondidas.


Uma regra principal para a segurança é ver e ser visto, para isso a arquitetura, o design e a iluminação são muito importantes. Portões mais vazados, garagens abertas e muito bem iluminadas, iluminação pública eficiente, são inibidoras de atitudes criminosas, o assaltante se sente visível e desprotegido. Em caso de edifícios uma sugestão eficiente é fazer com que a portaria a entrada de pedestres e a garagem formem uma espécie de “triângulo” de modo que o porteiro saiba exatamente quem está entrando ou saindo do prédio.


Nos pontos da cidade onde a ocorrência de delitos é frequente, nem sempre significa que determinada área seja perigosa ou marginalizada, a falha é urbana. Por exemplo, a falta de postes de iluminação, os cantos escuros debaixo de pontes e túneis, muros e casas com reentrâncias, mato alto, entre outras coisas que podem fácilmente esconder os criminosos das vistas das pessoas.


O que a polpulação em geral pode fazer para minimizar as chances de ataque e facilitar a ação policial? Segundo o coronel Roberson, tudo parte de 3 princípios simples:


– Vigilância natural: isso não significa eliminar as câmeras ou os sistemas de monitoramento, mas em alguns casos isso tudo não é necessário. Se houver alguma janela em sua casa de onde você possa ver quem está na porta da frente, procure checar sempre antes de abrir.


– Controle de Acesso: Uma vez estabelecida a vigilância tenha o cuidado de controlar o acesso a sua casa, o mesmo deve acontecer em prédios. Em lojas e escolas, essa vigilância e controle se dá transferindo os caixas ou atendentes para a frente da loja, dessa forma eles estarão sempre atentos em quem entra e sai da loja.


– Territorialidade: Parece uma coisa simples, mas manter o jardim limpo, aparar o mato, cuidar da fachada da sua casa, tudo isso são meios de expressar sua territorialidade, demostram o quanto você cuida do seu patrimônio, e passa a idéia de que você dificilmente será pego desprevenido.



Gostou? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *